05/03/2009

março 05, 2009
22
O tempo passa, mas a ignorância fica. O caso da menina de Pernambuco que teve nessa quarta-feira, dia 4 de março, sua gravidez interrompida provocou a ira do arcebispo de Olinda e Recife, o humanitário dom José Cardoso Sobrinho, que condenou a interrupção da gravidez da criança de nove anos que foi estuprada pelo padrasto e, provavelmente, morreria se tivesse levado essa gravidez de gêmeos adiante, tendo em vista que seu corpo não tem os órgãos desenvolvidos para suportar uma gravidez, principalmente de gêmeos. E como se não bastasse o bestiário desse arcebispo, ainda disse que os responsáveis pelo aborto estão excomungados da Igreja Católica, “Vocês são maus, estão todos excomungados, isso vai contra todas as bondades que a igreja católica fez a vocês e seus filhos, incluindo nossos padres que sempre cuidaram muito bem de suas crianças, que digam as crianças dos Estados Unidos, sempre beneficiados com nossas bondades”(isso deve ser o que se passou na cabeça santa dele).

Pergunto: que diabo de importância vital há em ser excomungado? “Ah Deus, minha vida acabou, fui excomungado da Igreja que nunca fez nada por mim, meu Deus, meu Deus, agora sou um morto-vivo, um zumbi, alguém reze por mim!”. Que importância tem isso hoje? Excomungar pessoas em pleno século XXI parece piada? Será que as superstições e crendices infantis não vão acabar nunca? Por que ele não luta para por na cadeia os padres que andam por aí abusando de meninas e, principalmente, meninos de suas paróquias? Mas pensando bem, se o papa me excomungasse garanto que me deixaria bastante triste, eu iria morrer, minha vida não teria mais sentido, como eu poderia viver sem assistir a uma missa? Isso me deixaria tão ferido por dentro, tão ferido, ferido de tanto rir.

O mesmo amável bispo, padroeiro da moral e dos bons costumes, já anunciou que, no próximo dia 7, quando será lançada a campanha da fraternidade da CNBB em Pernambuco, vai fazer um manifesto público contra a interrupção da gravidez da menina estuprada (É muita caridade!).

Mas se vocês acham que isso é tudo, não é; o excelentíssimo advogado da Arquidiocese de Olinda e Recife, Márcio Miranda, deverá apresentar ao Ministério Público de Pernambuco uma denúncia contra a mãe da menina estuprada. “Segundo o advogado, a denúncia será oferecida com base nos artigos 1º e 5º da Constituição Federal, que asseguram a inviolabilidade do direito à vida, já que a mãe da menina consentiu o aborto dos fetos”, diz o Diário do Grande ABC. A mãe sofre pela sorte da filha e ainda a querem processar. Que senso de humor tem esse advogado e seu querido arcebispo! Porém, o grande advogado parece não conhecer a legislação brasileira que diz que o aborto é permitido em vítimas de estupro até a 20ª semana de gestação, motivo pelo qual o Ministério Público de Pernambuco informou que não vai intervir no caso.

O que dizer disso tudo? Eu gostaria de ver o arcebispo se preocupando com a punição do padrasto da criança estuprada, pelo menos para a mãe da vítima sofrer menos e acreditar que esse Deus no qual ela tem fé se preocupa com sua filha.



Imagem: Vincet Van Gogh, Igreja de Auvers, 1890.

22 comentários :

  1. Pensei seriamente em escrever um post sobre isso mas como foge à temática do Fio ( talvez eu abra um blog para falar sobre estes temas ) fiquei só pensando. O padrasto das meninas, que maculou seus corpos e mentes não foi excomungado não, foi?
    Que escala de valores este pessoal tem, meu Deus do céu? Pode-se matar uma criança com certidão de nascimento em nome de direitos de nascituros inviáveis, posto que a vida da menina estava em risco caso a gravidez não fosse interrompida. Não sei exatamente se o caso é de busca da notoriedade a qualquer preço , mas que no mínimo desumanidade encontramos em alguns padres hoje em dia, encontramos, assim como inclinação para o abuso de menores. Daí talvez veja-se até lógica na defesa do ato do estuprador.
    Eu posso estar exagerando, mas não sou só eu , não é mesmo? Fico satisfeita em ter escolhido outro caminho filosófico para seguir após ter sido batizada, feito primeira comunhao e forçada a crismar nesta instituição chamada Igreja Católica.

    Abraço!

    ResponderExcluir
  2. Olha! Este texto tinha que ser publicado em todos os jornais!!!Para acordar estas pessoas que se fazem de coitadas ou engênuas...ou sei lá o que...é revoltante isso..todos tinham que ser excomungados..padres..políticos..

    ResponderExcluir
  3. Texto sensacional.

    ResponderExcluir
  4. Concordo plenamente com você, Vanessa. Eles têm que saber quais são suas prioridades.

    Um beijo, menina e obrigado pela visita!

    ResponderExcluir
  5. Aline, a igreja perdeu a noção da realidade.

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  6. Obrigado, Mozileide Neri,

    Quem bom que gostou, e volte sempre!

    ResponderExcluir
  7. Cínthia Azevedomarço 06, 2009 12:39 PM

    Muito bom! Assisti esses dias o filme "Sombras de Goya", não sei se você já viu?! Aluguei com o interesse de conhecer um pouco mais sobre a vida do pintor e me deparei com os absurdos da Igreja Católica.
    A maneira como a Igreja está tratando o caso dessa garota é típico de um comportamento bem antigo, coisas do século XVIII mesmo!

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Que bom receber notícias suas, moreninha.

    Essa atitude desse arcebispo é realmente um absurdo, a mãe da criança grávida está sendo tratada como uma criminosa. Depois a Igreja ainda quer convercer mais fiéis para o seu mundo; desse jeito fica impossível.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  9. Olá Willian, cheguei ao seu blog seguindo o fio de Ariadne. Bom foi encontrar na sua extremidade um texto tão pertinente como este.
    Risos assim "ao canto da boca". Até mais!

    ResponderExcluir
  10. Obrigado pela visita, Ariane, e que bom é fazer alguém sorrir.

    Volte sempre!

    ResponderExcluir
  11. Também estranhei bastante o alarde feito pela igreja. Acho que a opinião pública como um todo entendeu perfeitamente a gravidade do caso e apoia, nesse caso, o aborto.
    ass. Beto Costa

    ResponderExcluir
  12. Meu amigo Beto, é você? Que bom recebê-lo por aqui.

    Penso da mesma forma que você Beto. O melhor que esse arcebispo poderia ter feito, nesse caso, já que não queria apoiar o aborto, era não ter se manifestado, isso teria evitado mais críticas à Igreja.

    Um grande abraço e obrigado pela visita, meu amigo, a acasa é sua!

    ResponderExcluir
  13. oh grande instituição!
    com mãos contemporanêas,e com atos da idade média,pretendo pegar uma senha,já que concordo com todas as virgulas desse texto,acredito que esse post deveria estar em outros veículos de comunicação.Menino gênio,A P L A U S O S!!!!
    BEIJÃO!
    Mari

    ResponderExcluir
  14. Obrigado, Mari (C.).

    É o que a Igreja é hoje, uma instituição grande, grande, mas diminuindo cada vez mais por causa de, entre outras coisas, tratamentos como esse. O pior é que hoje eu soube que o gentil arcebispo excomungou os médicos e a mãe da menina, mas não o padrasto estuprador, "Ele cometeu um crime enorme, mas não está incluído na excomunhão. Esse padrasto cometeu um pecado gravíssimo. Agora, mais grave do que isso, sabe o que é? O aborto, eliminar uma vida inocente", disse o papa hóstia. Alguém interna esse energúmeno, por favor!

    Um grande beijo!

    ResponderExcluir
  15. Sabe que a atitude do bispo é muito parecida com a da justiça brasileira e a do pessoal dos direitos humanos? Ao bandido, as benesses; à vítima, as manchetes de jornais e as orações dos apiedados, embora, nesse caso, a vítima seuqer poderá receber orações.

    ResponderExcluir
  16. Marcos,

    Eu também tenho os dois pés atrás com os direitos humanos; se morre um bandido armam um escarcéu, se morre um cidadão honesto, ninguém fala nada.

    Um abraço e obrigado pela visita e pelo comentário.

    ResponderExcluir
  17. Adorei !! viom atraves de Ariadne e me encantei com suas palavras ... add vc a minha lista de favoritos !

    bjus

    ResponderExcluir
  18. Obrigado pela visita, Alice. Fico feliz que tenha do que digo, e obrigado por me adicionar a sua lista.

    Um beijo pra você!

    ResponderExcluir
  19. Oi!
    Eu adorei seu texto ! Vem, claramente, denunciar que com o passar do tempo, a Igreja Católica ainda vive com a mesmice de séculos passados e que não acorda para a realidade. Querem processar a mãe da criança e não se preocupa em processar o pai. Não seria melhor fazer uma campanha contra a pedofilia? Ou se atualizar ... Seria uma boa ideia a Igreja católica custear a alimentação, a educação e a vida de todas as mulheres que foram estupradas e de seus filhos. Quem sabe tocando no bolso "sagrado" da Igreja, ela não acorde para a real situação ??!!... Bjs!!! Alessandra.

    ResponderExcluir
  20. É, Alessandra, a Igreja parou no tempo e demonstra mais querer aparecer na mídia que se preocupar com seus fiéis.

    Beijo, menina e obrigado pela visita.

    ResponderExcluir
  21. William,sabe o que me pergunto quando vejo as atitudes de arcebispo?Onde foi parar o evangelho pregado por Cristo? Tem um versículo da Biblia que se aplica bem a este caso " Ai de vós que esmagam os homens debaixo de exigências religiosas impossiveis- exigências que vocês mesmos nem pensariam em tentar obedecer!!" É muito hipocrisia!! Eu queria saber se ele teria esta atitude se fosse uma parente dele!uma irmã,sobrinha!!Duvido que ele apoiaria a continuação da gravidez!Infelizmente, para muitos sacerdotes da Igreja Católica o cristianismo deixou de ser uma vida de amor,compaixão,misericórdia...atitudes ensinadas por Cristo e passou a ser apenas dogmas,regras ou seja religiosidade e esta em si é morta!! Bjus até mais

    ResponderExcluir
  22. Lis, a hipocrisia é a grande palavra para descrever a atitude desse arcebispo beato.

    Um beijo, Lis e obrigado por estar aqui.

    ResponderExcluir

Voltar ao topo